topeesp.gif (5672 bytes)

[ Scientific Activities - Actividades Científicas ]

Invited Symposium: InterAmerican Heart Fundation

 

English
English
English
English
English
Português
Português
Português
English
English
Português
English
Português
Português
Português

 

Advanced Cardiac Life Support Courses: Brazilian Experience

Timerman, Sergio; Paiva, Edison; Moretti, Miguel; Stefanini, Edison; Cesar, Luis Antonio; Mesquita, Evandro; Cruz Filho, Fernando; Volchan, Andre; Factore, Luis; Rattón, José; Born, Daniel; Kern, Karl.

National Committee on Resuscitation. Brazil
The Arizona Heart Center. University of Arizona. USA

Objetive: to evaluate the efficiency of the experience in advanced cardiac life support courses in Brazil.
Material and methods: we have given 101 advanced cardiac life support (ACLS) courses to health professionals, nurses and physicians. We developed the courses according to the guidelines for advanced cardiac life support from the American Heart Association. We performed an initial and final theoretical written test, continuous practical evaluation and a written survey about the quality of the course.
Results:All the students acquired skills in basic life support resuscitation. In the ACLS courses, 86,1% of practitioners answered at least 75% of the questions in the initial test correctly (87,35% of physicians and 76,9% of nurses, P < 0.01); this percentage increased to 89.6% in the final test (89% of physicians and 83.5% of nurses, P < 0.05). Of students, 95% acquired skills in advanced cardiac resuscitation. All students and teachers considered the theoretical and practical formation received adequate.
Conclusions:basic and advanced cardiac life support courses are a useful educational method for the general population, health professionals, physicians and nurses in theoretical and practical cardiac resuscitation.

Top

Advanced Cardiac Life Support Training: Comparison of Brazilian vs North American Student Responses

Kern Karl B.; Timerman Sergio; Paiva Edison F

University of Arizona. USA
Brazilian National Resuscitation Council

A nationally coordinated effort has recently begun to teach Advanced Cardiac Life Support (ACLS) to health care professionals throughout Brazil. Under the direction of FUNCOR of the Brazilian Heart Foudation Society of Cardiology these courses have carefully followed the American Heart Association’s ACLS guidelines. ACLS materials (english) were available prior to the course for each student. Data on student preparation and end of course evaluations have been prospectively gathered and comparisons made between the first 122 Brazilian students and a similar 1997 student cohort from the University of Arizona (n = 31). Students evaluated the different course aspects as non-satisfactory, satisfactory, or superior. No differences in ratings concerning course schedule, course dynamics, or content were detected with both groups giving each of these categories approximately a 45% "superior" rating. Significantly more Brazilian students rated "superior" course organization (62 vs 42%; p < .02) and duration (10 vs 27%; p < .05) than did the Arizona students.
Instructors were rated similarly high and "superior" by both student groups (57 vs 48%; p < .5). Likewise, no differences were found in course materials (56 vs 45%; p < .3) or knowledge gained (50 vs 50%; p < .9). Brazilian students did rank facilities (54 vs 26%; p < 0.01) and mannequin use (44 vs 20%; p < 0,02) higher than the Arizona students. Both groups of students appear to prepare equally well, with 33% vs 50% reading a majority of the ACLS text prior to the course (p < .3). The vast majority claimed their treatment of cardiac arrest victims would be drastically altered from having attended the ALCS course (95 vs 90%; p < .4). Finally, in both countries there was unanimous agreement that the course was worthwhile and should be recommended for all healthcare professionals.

Top

Basic Life Support Courses

Ferreira,  Dario; Timerman, Sergio; Mannarino, Luciano; Dantas, Rogério; Tarasoutchi, Flávio; Garcia, Eliana; Ferreira, Adriana; Rays, Jairo; El Sanadi, Nabil.

Broward General Medical Center. Miami. USA
National Committee on Resuscitation, Brazil

In sudden cardiac deaths outside hospitals, the present performance of external cardiopulmonary resuscitation-basic life support (CPR-BLS), as a bridge to advanced life support (ALS) attempts for restoration of spontaneous circulation (ROSC), still yields suboptimal results. Therefore, future education research should develop more effective, simpler and quicker ways to enable everyone to acquire the necessary BLS skills. We evaluate the efficiency of the first experience in basic life support courses in Brazil. We have given four basic life support (BLS) courses of 4-6 h each to dentist, nurses, physicians and industries. We developed the courses according to the guidelines for basic life support - automatic external defibrillation from the American Heart Association. We performed continuous practical evaluation and a written survey about the quality of the course.
Results: on BLS all the students acquired skills in basic life resuscitation.. All students and teachers considered the theoretical and practical formation received adequate.
Conclusions:basic life support courses are a useful educational method for the general population, health professionals, physicians and nurses in theoretical and practical resuscitation.

Top

Basic Life Support - Automated External Deffibrilation Courses - Brazilian Experience

Sergio Timerman, Edison Paiva, Flávio Tarasoutchi, Maria Cecilia Damasceno, Paulo Magalhães, Luciano Mannarino, Luis Factore, Élcio Pfeferman, Jairo Rays, Claudia Barros, Nabil El Sanadi, Maria Beatriz Preto, Leatrice Phares.

Broward General Medical Center. Fort Lauderdale. Florida. USA
The National Committee on Resuscitation. São Paulo. Brazil.

Introduction: to evaluate the efficiency of the experience in basic life support courses in Brazil.
Methods: we have given twelve basic life support and automated external defibrillation (BLS-AED) courses to 186: 66 (35.5%) non health professionals (51 VARIG airlines flight attendants and pursers , 5 high - school teachers, 6 bodyguards, 4 VARIG emploees), 53(28,5%) nurses, 67(36,0%). We developed the courses according to the guidelines for BLS-AED American Heart Association, with theoretical written test, continuous practical evaluation and a written survey about the quality of the course.
Results: 92% of the students acquired skills in basic life support resuscitation. In continuous practical evaluation and in the final written test 88,1% of practitioners answered at least 93% of the questions in the final test correctly. 99% of the students acquired skills in AED. All students and teachers considered the theoretical and practical formation received adequate.
Conclusions: BLS-AED are a useful educational method for non health professionals, physicians and nurses in theoretical and practical cardiac resuscitation.

Top

Brazilian Basic Life Support Instructor Course: Comparison of Learning Retention of Brazilian Nationals and North Americans Using the Principles of Adult Education.

Vada, Adriana; Rays, Jairo; Garcia, Eliana; Timerman, Sergio; Sanadi, Nabil El; Phares, Leatrice.

North Broward Hospital District. Fort Lauderdale. Florida. USA
National Committee on Resuscitation. Brazil

Objetive: To quantify the learning retention of English speaking Brazilian Nationals who had completed an American Heart Association Basis Life Support Instructor Course in English as compared to their United States colleagues.
Methods: The principles of adult education were utilized by the instructors in teaching the course. Also, classroom presentations, demonstrations/return demonstrations, written tests, and question and answer sessions were used.
Results: The Brazilian National participants mean score was identical to their United States colleagues. The mean scores were 92%.
Conclusion: The principles of adult education should be routinely incorporated into all courses for adults who have English as a second language. This methodology allows for a comfortable learning enviroment and strongly contributes to the participant quote successful completion of a course.

Top

Heartsaver- First Aid AED CPR Training System (Heartsaver- FACTS) no Brasil

Timerman, Sergio; Ferreira, Dario; Magalhães, Paulo; Luna, Rafael; Rays, Jairo; Timerman, Ari; Garcia, Eliana

Comitê Nacional de Ressuscitação (SBC). Brasil

American Heart Association (AHA) e The National Safety Council (NSC) combinaram forças e lançaram um novo treinamento que ocorreu simultaneamente no Brasil. O curso visa o treinamento com os desfibriladores externos automáticos e a integração deste com as manobras básicas de vida e de primeiros socorros de vítimas de trauma e emergências clínicas. Os componentes to curso são: 7 - 8 horas de treinamento, incluindo manual do estudante, do instrutor, 2 vídeos e CD-room para instrutores.
Objetivo: Avaliar o primeiro curso de instrutor de Heartsaver-FACTS (HF).
Materiais e Métodos: Analisamos o 1 curso de aluno - instrutor do HF realizados em março de 1999. Com um total de 8 profissionais da saúde formados, 2 (25%) enfermeiras e 6 (75%) médicos (2 cardiologistas, 1 intensivistas, 2 clínicos gerais, 1 pediatra). Foram realizados um teste escrito inicial e final, avaliação prática contínua e avaliação por escrito sobre a qualidade do curso (seguindo normas da AHA e do NSC). Resultados: A média de aproveitamento no teste escrito inicial foi de 97,55% e no teste final 92,42%. Na avaliação prática, todos os alunos foram considerados aptos. A avaliação feita pêlos alunos revela um alto grau de satisfação, sendo que 100% deles recomendariam o curso. Com ao desempenho dos instrutores foi considerado satisfatório por 17,65% e acima das expectativas por 82,35%; quanto as estações práticas: 12,78% satisfatórias e 87,22% acima das expectativas. Organização geral, instrutores e aulas práticas: 100% dos alunos consideram que o curso mudará sua conduta no atendimento do paciente com emergência cardiológica.
Conclusão: O HeartSaver-FACTS apresenta nova técnica pedagógica em relação aos demais cursos da AHA pelo uso extensivo de videoteipes intercalados com cada manobra a ser treinada em manequins, incluindo primeiros socorros.

Top

Impacto do Suporte Avançado de Vida em Cardiologia (SAVC).

Sergio Timerman, Edison Paiva, Luis Antonio Factore, Evandro T. Mesquita, Daniel Born, Carlos Serrano Jr., Karl B. Kern

Comitê Nacional de Ressuscitação (FUNCOR - SBC). Hospital Israelita Albert Einstein. São Paulo. Brasil

Objetivo: Avaliar a performance e o questionário preenchido pelos alunos dos primeiros quatorze cursos de SAVC no Brasil
Material e Método: Analisamos os 14 cursos de aluno do SAVC realizados até novembro de 1997. Com um total de 352 profissionais da saúde formados, 32 (9,1%) enfermeiras e 320 (90,9%) médicos (155 cardiologistas, 53 intensivistas, 42 clínicos gerais, 32 cirurgiões, 17 anestesistas, 3 pediatras, e 18 especialistas em outras áreas clínicas). Foram também realizados três cursos de instrutor com a formação 52 novos professores. Os cursos foram realizados de acordo com os guidelines do Curso "Advanced Cardiac Life Support" da American Heart Association (AHA). Foram realizados um teste escrito inicial e final, avaliação prática contínua e avaliação por escrito sobre a qualidade do curso (seguindo normas da AHA).
Resultados: A média de aproveitamento no teste escrito inicial foi de 86,55% e no teste final 89,02%, sendo que apenas 2 alunos não atingiram a nota mínima. Na avaliação prática, apenas 12 alunos (3,40%) ainda não foram considerados aptos. A avaliação feita pelos alunos revela um alto grau de satisfação, sendo que 100% deles recomendariam o curso. Com relação a organização geral, 0,29% a consideraram insatisfatória, 41,64% satisfatória e 58,06% acima das expectativas; o desempenho dos instrutores foi considerado insatisfatório por 0% dos alunos, satisfatório por 37,65% e acima das expectativas por 62,35%; quanto as estações práticas, 0,29% as consideraram insatisfatórias, 36,87% satisfatórias e 62,83% acima das expectativas. Organização geral, instrutores e aulas práticas são a essência do curso. Cem por cento dos alunos também consideram que o curso mudará sua conduta no atendimento do paciente com emergência cardiológica, sendo que 96,17% acreditam que esta mudança será grande.
Conclusão: SAVC é um método educacional eficaz e útil para os profissionais da saúde, médicos e enfermeiras. Os dados confirmam as expectativas a respeito da necessidade de treinamento nesta área em todo o Brasil.

Top

Implantação do curso Heartsaver-AED no Brasil. Um novo conceito em treinamento de ressuscitação cardiopulmonar

Timerman Sergio; Tarasoutchi Flávio; Ferreira Dario; Magalhães Paulo; Cruz Fernando; Bueno Mario; Luna Rafael; Rays Jairo; Timerman Ari, Garcia Eliana, Ferreira Adriana; Ramires José; Phares Leatrice; Pond Molly; Steplaton Edward.

Comitê Nacional de Ressuscitação (SBC), Brasil

Objetivo:Avaliar os primeiros cursos de Heartsaver AED (HAED) no Brasil.
Materiais e Método:Analisamos os 4 cursos de aluno do HAED realizados até novembro de 1998. Com um total de 352 profissionais da saúde formados, 32 (9,1%) enfermeiras e 320 (90,9%) médicos (155 cardiologistas, 53 intensivistas, 42 clínicos gerais, 32 cirurgiões, 17 anestesistas, 3 pediatras, e 18 especialistas em outras áreas clínicas). Foram também realizados três cursos de instrutor com a formação 52 novos professores. Foram realizados um teste escrito inicial e final, avaliação prática contínua e avaliação por escrito sobre a qualidade do curso (seguindo normas da AHA).
Resultados:A média de aproveitamento no teste escrito inicial foi de 86,55% e no teste final 89,02%, sendo que apenas 2 alunos não atingiram a nota mínima.
Na avaliação prática, apenas 12 alunos (3,40%) ainda não foram considerados aptos. A avaliação feita pelos alunos revela um alto grau de satisfação, sendo que 100% deles recomendariam o curso. Com relação a organização geral, 0,29% a consideraram insatisfatória, 41,64% satisfatória e 58,06% acima das expectativas; o desempenho dos instrutores foi considerado insatisfatório por 0% dos alunos, satisfatório por 37,65% e acima das expectativas por 62,35%; quanto as estações práticas, 0,29% as consideraram insatisfatórias, 36,87% satisfatórias e 62,83% acima das expectativas; 100% dos alunos também consideram que o curso mudará sua conduta no atendimento do paciente com emergência cardiológica, sendo que 96,17% acreditam que esta mudança será grande.
Conclusão:O HAED apresenta nova técnica pedagógica em relação aos demais cursos da AHA.

Top

Medical Emergencies In Dental Practice

Timerman, Lilia; El Sanadi, Nabil; Timerman, Sergio; Sousa, Valeria; Sousa, Jemr

Instituto Dante Pazanese de Cardiologia. São Paulo. Brazil
Coastal Physician Service. Florida. USA

The most common medical emergencies were adverse reactions to local anaesthetics, grand mal seizures, angina pectoris and hypoglycaemia (insulin shock). Nearly all respondents (96 per cent) believed that dentists need to be competent in cardiopulmonary resuscitation, just over a half (55 per cent) felt they were competent in CPR on graduation and a similar figure (57 per cent) felt they could perform effective single person CPR for five minutes. Almost two-thirds (64 per cent) had undertaken CPR courses since graduation. Adiftionally, the most commonly kept emergency drugs were oxygen (63 per cent) and adrenaline (22 per cent), while the most commonly kept emergency equipment was a manual resuscitator (recoil bag-valve-mask type) which was kept by 27 per cent of the practitioners.

Top

Pediatric Advanced Life Support Courses

Reis, Amelia; Carvalho, Paulo; Freddi, Norberto; Timerman, Sergio; Eisencraft, Adriana; Katz, Denise; Ferreira, Adriana; Santos, Erica; Nadkarni, Vinay ; Sako, Yara; Berg, Robert.

National Committee on Resuscitation. Brazil
The University of Arizona. USA

Objetive: to evaluate the efficiency of the experience in pediatric advanced life support courses in Brazil.
Material and Methods: we have given 34 pediatric advanced life support provider(PALS) 30-h courses to 658 health professionals(pediatrics, cardiologist, general surgeon and pediatric surgeons), and 6 intructors courses to 75 health professionals. We developed the courses according to the guidelines for pediatric life support from the American Heart Association. We performed an initial and final theoretical written test, continuous practical evaluation and a written survey about the quality of the course.
Results:All the students acquired skills in basic pediatric resuscitation. In the PALS courses, 30% of practitioners answered at least 80% of the questions in the initial test correctly (35% of physicians and 12% of nurses, P < 0.01); this percentage increased to 95.6% in the final test (96% of physicians and 93.5% of nurses, P < 0.05); 95% acquired skills in advanced pediatric resuscitation. All students and teachers considered the theoretical and practical formation received adequate.
Conclusions:advanced pediatric life support courses are a useful educational method for the health professionals, physicians and nurses in theoretical and practical pediatric resuscitation.

Top

Resultados da ressuscitação cardiopulmonar intra-hospitalar

Timerman Ari, Sauai Naim

Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia. São Paulo. Brasil

Quando a parada cardiorrespiratória ocorre fora do hospital, o sucesso das manobras ressuscitatórias está associado ao tempo com que são iniciados os socorros básico e especializado, especialmente a desfibrilação elétrica. Quando a parada cardiorrespiratória ocorre em ambiente hospitalar, fica facilitada a aplicação com rapidez dos socorros básico e especializado; sobressai a importância de outros fatores que possam influenciar os resultados da ressuscitação cardiopulmonar. Tem sido demonstrada importante correlação com o insucesso das manobras ressuscitatórias: duração da ressuscitação cardiopulmonar superior a 15 minutos, vigência de acidente vascular cerebral, parada cardíaca em ritmo diferente de fibrilação ventricular, insuficiência renal crônica, "cor pulmonale" crônico, cardiopatia congênita cianogênica, câncer metastático, sepse, parada cardiorrespiratória não presenciada e tempo de início da ressuscitação cardiopulmonar superior a cinco minutos. Em nosso material, se o paciente teve parada cardíaca com a modalidade de assistolia ou de dissociação eletromecânica, era portador de cardiopatia congênita cianogênica, insuficiência renal crônica ou "cor pulmonale" crônico e teve como causa de parada cardiorrespiratória insuficiência miocárdica, acidente vascular cerebral ou crise anóxica, não havia sobreviventes por mais de um mês após a parada cardiorrespiratória; naqueles sem nenhuma dessas características, a sobrevivência por mais de um mês foi de 69%. Os dados apresentados podem fornecer informações úteis aos médicos que têm que decidir quando começar ou quando terminar com os esforços ressuscitatórios.

Top

Retention and Comprehension of  Brazilian Nationals after  Learning ACLS Course

Sanadi N El; LaCombe D; Timerman S; Paiva E.; Factore L.A ; Born D.; Peres R B; Pfeferman E.; Tarasoutchi, F.

Broward General Medical Center. Miami Training and Simulation Laboratory. USA
Albert Eisntein Hospital. São Paulo. Brazil
National Committee on Resuscitation. Brazil.

Objectives: To quantify the retention and comprehension of Brazilian physicians and nurses being taught advanced cardiac life support acoording to American Heart Association standards.
Methods:English speaking Brazilian physicians and nurses were taught ACLS at the University of Miami Training and Simulation Laboratory. American Heart Association standards were utilized. Pre - and Post - tests were used to gauge comprehension and retention. Post test results were comapred to American student results.
Results :The average scores of Brazilian learners was equal to that of American learners:

  Citizenship Physicians Nurses EMT-P Sample Size MeancScore Standard Dev.
Brazil 12 6 0 18 88.69 6.07
USA 4 6 4 14 88.57 4.86

Conclusions:
Despite a language barrier and the use of English texts and tests. English speaking Brazilian physicians and nurses can understand and retain BLS and ACLS materials equally well.

Top

Sucesso de reversão química das taquicardias paroxísticas supraventriculares com adenosina

Timerman, Sergio; Born, D.; Serrano, Carlos; Iervolino, Mauro.

Comitê Nacional de Ressuscitação. SBC FUNCOR. Brasil.

A adenosina, vem sendo utilizada como tratamento de escolha das taquicardias paroxísticas supraventriculares (TPSV). Analisamos 23 pacientes(p) sendo 13(56%) mulheres, com idades entre 26 e 79 anos (média 51 +/- 13), diagnóstico de TPSV pelo eletrocardiograma convencional de 12 derivações, sem definição do tipo específico de taquicardia paroxística envolvida, excluindo os p com insuficiência miocárdica e coronária e pacientes com instabilidade hemodinâmica. Os p receberam inicialmente a infusão rápida ( máximo de 3 segundos) de 6mg; infundindo-se a dose de 12 mg após 2 minutos caso insucesso na reversão e uma terceira dose de 12 mg após 2 minutos no caso de insucesso, 14 pacientes (61%) sem a metodologia (SM) de infusão preconizado nos cursos de SAVC e 9 pacientes (39%) com a metodologia adequada(MA), após cada infusão, seguir com administração rápida "flush" de 20 ml de soro fisiológico e elevação do membro que recebeu a medicação. Avaliamos o sucesso relacionado com a dose empregada, tempo de reversão, e tempo de permanência em observação, dos dois grupos. Após 10 minutos da administração da dose máxima, em não havendo reversão, considerou-se insucesso.
Resultados: Ocorreu sucesso na reversão da TPSV com a dose de 6 mg em 7p(30%) – 4 (28,5%) SM e 3 (33%) MA , 14 p(61%) necessitaram da segunda dose para ocorrer a reversão (total 18 mg) 8 (57%) SM e 6 (67%) MA, em 2p (14,5%) SM foram necessário a 3a dose, sendo um deles sem sucesso (total 24 mg) . O tempo necessário para a reversão variou de 3 a 59 (média 27,5 +/-11,6s), com menor tempo de reversão (37%) nos pacientes administrado com a MA. A 95% (22 pacientes) receberam alta após 30 minutos da reversão, ficando em observação por mais tempo com o objetivo de se avaliar eventual recorrência da arritmia.
Conclusão: No grupo MA, a reversão foi mais eficaz, quando comparado com o grupo SM. A prática dos "guidelines" do curso SAVC, aumentou a eficácia na reversão química de TPSV.

Top

Suporte básico de vida em pediatria

Timerman Sergio; Ferreira Adriana; Garcia Eliana.

Hospital Israelita Albert Einstein. Comitê Nacional de Ressuscitação. Brazil

Objetivo: Avaliar os primeiros resultados do programa PBLS em consultórios no Brasil. Material e Método: Avaliamos os dois primeiros cursos de aluno do PBLS realizados em novembro de 1998 em duas clínicas pediátricas para pais de recém nascidos e crianças fator este de principal motivação, com um total de 24 leigos formados (cada curso 2 instrutores e 12 alunos) Os cursos foram realizados de acordo com os guidelines do Curso "Pediatric Basic Life Support" da American Heart Association. Com cinco horas de duração o curso inclui apresentação da cadaeia de sobrevivência em pediatria, conceitos básicos de anatomia e fisiologia cardiopuomonar, prevenção de acidentes na infância e prática com manequins das manobras de ressuscitação e desobstrução de vias aéreas em lactentes e crianças. Foram realizados avaliação prática contínua e avaliação por escrito sobre a qualidade do curso.
Resultados: A média de aproveitamento na aula prática foi de 83,67% . Na avaliação prática, apenas 2 alunos (8,3%) ainda não foram considerados aptos. A avaliação feita pelos alunos leigos revela um alto grau de satisfação, sendo que 100% deles recomendariam o curso. Com relação a organização geral, 4% a consideraram insatisfatória, 26% satisfatória e 70% acima das expectativas; o desempenho dos instrutores foi considerado insatisfatório por 0% dos alunos, satisfatório por 8,3% e acima das expectativas por 91,6%; quanto as estações práticas, 0% as consideraram insatisfatórias, 4% satisfatórias e 96% acima das expectativas. Organização geral, instrutores e aulas práticas são a essência do curso. Cem por cento dos alunos também consideram que o curso mudará sua conduta em caso de uma emergência pediátrica, sendo que 95,83% acreditam que esta mudança será grande.
Conclusão: PBLS é um método educacional eficaz e útil para leigos, tratando-se de uma iniciativa pioneira em realização de cursos dentro de consultórios pediátricos. Os dados confirmam as expectativas a respeito da necessidade de treinamento nesta área em todo o Brasil.

Top

Uso de desfibrilador externo automático a bordo de aeronave comercial: 1o registro de caso em uma companhia aérea brasileira

Magalhães, Paulo Alves; Timerman Sergio; Stapleton Edward

Fundação Ruben Berta,  Rio de Janeiro.
Comitê Nacional de Ressuscitação, SBC.
ECC Interamerican Heart Foundation, American Heart Association

Introdução: A morte súbita é das emergências mais graves que podem ocorrer em aeronaves comerciais. Ocorrem em média 5 mortes a bordo a cada ano, representando uma morte a cada 1,6 milhões de passageiros transportados, por esta razão algumas empresas aéreas incorporaram desfibriladores externos automáticos (DEA), para serem operados pôr comissários de bordo, especificamente treinados, conjuntamente com médicos eventualmente presentes no vôo.
Objetivo:O objetivo deste trabalho é relatar o primeiro caso de utilização de um DEA a bordo de uma aeronave brasileira.
Relato:
Homem branco, 50 anos, médico, sem história cardiovascular prévia, em viagem de férias, em vôo internacional, com cerca de 1 hora para o aeroporto de destino, queixa-se ao comissário de bordo de mal-estar e desconforto precordial, logo em seguida perdendo a consciência e caindo sobre as poltronas vizinhas. O colapso foi presenciado pôr médico e pôr comissário de bordo que em cerca de 2 minutos instalou o DEA. O rimo inicial era fibrilação ventricular (FV) de média amplitude. O primeiro choque foi de 200 J após 20 segundos de ligado o equipamento, havendo reversão para assistolia. Iniciaram-se manobras de ressuscitação cardiopulmonar (RCP), pôr 1 minuto. Houve recidiva da FV com administração de novo choque de 200 J. Após breve período de reversão para ritmo idioventricular houve mais dois episódios de FV requerendo choques de 300 e 360 J sucessivamente. Após o quarto choque o ritmo registrado foi de fibrilação atrial com QRS alargado, sem que fosse notado pulso carotídeo. Foram interrompidos os esforços de RCP.
Discussão:A introdução de DEAs a bordo de aeronaves representa o primeiro movimento no sentido da desfibrilação de acesso público em nosso país.

Top


© CETIFAC
Bioengineering

UNER
Update
Mar/17/2000 


This company contributed to the Congress:

klchlogo4.gif (6328 bytes)